O espetáculo ‘Coraci Mirongá’, nasce do encontro da intérprete, Mariana Jorge, com a Ala das Baianas da Escola de Samba Nenê de Vila Matilde - SP. Desde 2010 as mães do samba abriram uma fresta para que ela adentrasse em seus simbólicos universos, fornecendo materiais preciosos para a criação deste trabalho. Todo o processo, desde a pesquisa de campo até a criação final foi desenvolvido através do método BPI (Bailarino-Pesquisador-Intérprete) sob direção de Graziela Rodrigues e Larissa Turtelli.

  A mandinga, os mistérios, as lutas e as simbologias inerentes a essas mulheres se tornam elementos coreográficos, criando uma narrativa não linear, profunda e emocionante. O espetáculo traz um corpo de festa, de santo, de samba, de resistência: recheios que se revelam em dinâmicas metamorfoses. Coraci se alimenta de coragem na mironga de suas panelas, transita entre as nuances de uma vida tortuosa, que se reflete em seu corpo e sua musicalidade, em contante diálogo com a trilha sonora tocada ao vivo pelo músico Chico Santana.

Foto: Débora Branco

The spectacle Coraci Mirongá is inspired by the universe of one of the typical characters of  the brasilian carnival: the "baianas" (Women of Bahia). Especially for the samba school (escola de samba) Nenê de Vila Matilde, in São Paulo, Brazil, this is one of the main characters.  The magic, the mystery, the struggles and symbols inherent in these women become choreographic elements, which create a non-linear narrative, deep and exciting, Coraci  character. The Coraci represent a body full of party,  holiness and  resistance, which is revealed in a dynamic metamorphoses. During the presentation, Coraci feeds herself with courage that comes out of her magic pots. The performance is created by the BPI method (bailarino-pesquisador-intérprete, dancer-researcher-interpreter) and is directed by Graziela Rodrigues and Larissa Turtelli.